Iraquianos festejam os 65 anos de Saddam Hussein

Os iraquianos celebraram hoje oaniversário de 65 anos do presidente Saddam Hussein, em meio auma mostra de lealdade ao governo, cujo principal tema do últimoano foi o desafio à decisão dos EUA de esmagar o governo deBagdá. O presidente norte-americano, George W. Bush, classificouSaddam como uma ameaça ao próprio povo iraquiano, à região e aomundo. Alguns meios de comunicação estatais aclamaram oaniversário de Saddam como o renascimento de um Iraque "livre evitorioso contra o colonialismo anglo-americano-sionista".Nas principais festividades do dia, realizadas em Tikrit, acidade onde Saddam foi criado, a 160 quilômetros ao norte deBagdá, várias meninas dançaram danças árabes tradicionais eagitaram bandeiras iraquianas e palestinas. Um grupo de cantoreselogiou Saddam como símbolo da "dignidade e orgulho" do país.As homenagens, transmitidas pela televisão estatal, coroaramvários dias de celebrações em todo o país. Os festejos, que vêmsedo realizados pontualmente desde 1985, mostram o grau docontrole que Saddam tem sobre o Iraque.Hoje, em Bagdá, dezenas de milhares de iraquianos saíram àsprincipais ruas portando fotografias de Saddam e bandeiras deseu país. "Saddam é nosso líder para sempre", gritavam.Saddam tem se mostrado um simpatizante dos palestinos eordenou o pagamento de até US$ 25.000 para as famílias dosmilitantes suicidas desde que a violência no Oriente Médiovoltou a piorar, em setembro de 2000. Recentemente, Saddamordenou também o pagamento da mesma quantia aos palestinos porcada casa destruída pelos israelenses no campo de refugiados deJenin.Os governos árabes advertem os Estados Unidos que casoataquem agora o Iraque inflamariam ainda mais os sentimentosanti-americanos entre muitos países islâmicos, que acusamWashington de favorecer incondicionalmente Israel no conflitocontra os palestinos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.