Iraquianos são presos por seqüestro de diplomata iraniano

O ministro de Assuntos Exteriores do Iraque, Hoshiyar Zebari, anunciou nesta quarta-feira que quatro oficiais do Exército iraquiano foram detidos por seu envolvimento no seqüestro de um diplomata iraniano no último domingo."As forças de segurança prenderam quatro oficiais militares que estão ligados ao seqüestro do diplomata iraniano", declarou Hoshiyar em entrevista coletiva, sem informar quando os oficiais foram detidos."Há suspeitas de que estes militares estejam ligados a um dos partidos que participam da coalizão de governo", afirmou o ministro sem identificar o grupo político.O segundo secretário da embaixada do Irã em Bagdá, Jalal Sharafi, foi capturado no centro de Bagdá por um grupo de homens vestidos com uniformes do 36º batalhão de Comando do Exército iraquiano, um grupo de elite que trabalha sob supervisão das forças americanas.O chefe da diplomacia iraquiana também revelou que as detenções aconteceram após os ministérios da Defesa e do Interior concluírem as investigações sobre o assunto.Ele disse que "o resultado dos trabalhos serão entregues hoje (quarta-feira) ao primeiro-ministro iraquiano", Nouri al-Maliki, para que este adote as medidas pertinentes para que Sharafi seja libertado.Hoshiyar negou as alegações iranianas de que os EUA tiveram participação na captura de Sharafi, ao afirmar que "nem a embaixada americana nem as tropas da coalizão (liderada pelos EUA) tiveram relação alguma com o seqüestro".Desde que o presidente George W. Bush anunciou um novo plano para sanar a violência no Iraque, os Estados Unidos têm acirrado suas ações contra agentes e diplomatas iranianos que atuam no país árabe. Os militares americanos acusam os quadros de Teerã de incitarem a violência contra a minoria sunita do país, além de dar apoio logístico para milícias xiitas. Na semana passada, Maliki chegou a pedir para que iranianos e americanos não façam do Iraque um campo de batalha para os dois países.Nesta quarta-feira, o ministro de Relações Exteriores do Iraque expressou o desejo de que o seqüestro do diplomata não afete as relações entre o Iraque e o Irã, país que acusou os EUA de estar por trás desta ação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.