Iraquianos se despedem do líder xiíta morto em atentado

Milhares de iraquianos chegaram hoje à cidade de Najaf para para o funeral do aiatolá xiíta Mohamed Baqir al-Hakim, morto na última semana em uma atentado à mesquita de Imam Alí, em que morreram cerca de 120 pessoas. Bandeiras negras foram colocadas ao redor do templo, guardado por homens usando túnicas brancas e uniformes escuros, empunhando fuzis russos Kalashnikov. Como o corpo de Al-Hakim não pôde ser encontrado depois da explosão, a família enterrou um ataúde simbólico, contendo seu relógio, uma lapiseira e a aliança de casamento, na Praça da Revolução de 1920, um cemitério destinado a mártires da insurreição xiíta contra os ocupantes britânicos. Os 15 guarda-costas de al-Hakim, que morreram com ele durante o atentado, foram enterrados em túmulos vizinhos. O cortejo fúnebre foi seguido por cerca de 400 mil iraquianos, desde Bagdá até Najaf. Em uma dde suas últimas escalas, na cidade de Hila, o filho de al-Hakim, Mohamed Hussein Mohamed Saeed al-Hakim disse: ?Nosso querido Iraque enfrenta grandes e perigosos desafios, que requerem nossa força?. Quando o funeral estava começando outro carro-bomba explodiu em frente à sede da polícia, no centro de Bagdá.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.