Iraquianos soltam 9 reféns, mas capturam 7 chineses

Grupos rebeldes iraquianos libertaram nove dos estrangeiros que mantêm como reféns, mas seqüestraram sete chineses e continuam ameaçando queimar vivos três japoneses se Tóquio não retirar imediatamente suas tropas do Iraque. Os libertados são, segundo a rede de televisão árabe Al-Jazira, do Catar: dois palestinos, três paquistaneses, um indiano, um nepalês, um filipino e o britânico Gary Teeley.A informação sobre o seqüestro dos cidadãos chineses foi dada pela Agência Nova China, que citou como fonte de informação a Embaixada da China em Bagdá. A agência noticiosa não deu detalhes sobre o episódio que coincide com a chegada do vice-presidente americano, Dick Cheney, a Pequim para uma visita oficial.A ameaça de assassinar os japoneses foi confirmada pelos seqüestradores várias horas depois de a televisão Al-Jazira, do Catar, e funcionários japoneses terem anunciado que os rebeldes haviam garantidos que eles estavam bem e seriam postos em liberdade.Embora enfrentando ruidosas manifestações de protesto em Tóquio, o primeiro-ministro japonês, Junichiro Koizumi, não só rejeitou o ultimato dos rebeldes como reiterou que as tropas japoneses prosseguirão sua missão no Iraque. Estima-se que pelo menos 30 estrangeiros tenham sido seqüestrados no Iraque - entre os quais dois alemães e um americano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.