Iraquianos tornam-se principal alvo da resistência

Os ataques contra forças americanas no Iraque vêm diminuindo nas últimas duas semanas, e os rebeldes visam, cada vez mais, a iraquianos que trabalham com a coalizão, para intimidá-los, disseram altas autoridades das forças de ocupação. Além disso, mais uma organização humanitária anunciou o fim de suas atividades no Iraque, por questões de segurança.O principal administrador americano no Iraque, L. Paul Bremer, disse que os ataques contra as tropas dos EUA não tiveram o efeito desejado, e por isso a resistência passou a ter como alvo os iraquianos colaboradores.?A situação de segurança mudou?, disse Bremer. ?Eles adotaram um padrão de tentar intimidar iraquianos inocentes?, afirmou, comentando que os insurgentes ?não terão sucesso?. O general John Abizaid complementou a fala de Bremer dizendo que o número de ataques diários contra as forças de ocupação caiu pela metade nas últimas duas semanas. ?Infelizmente, vemos que os ataques a iraquianos aumentaram?.Em Canberra, Austrália, a agência Care Austrália disse ter retirado seus seis representantes internacionais do Iraque e orientou os 70 funcionários iraquianos a ficar em casa, após um ataque com foguetes a seu escritório de Bagdá.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.