Irlanda endossa criação de Tribunal Internacional

O governo irlandês endossou o tratado para estabelecer um Tribunal Penal Internacional, uma medida já aprovada em referendo, afirmou o governo nesta quarta-feira.O tribunal, proposto numa conferência realizada em 1998 em Roma, sob os auspícios das Nações Unidas, deve se tornar uma corte permanente, responsável pelo julgamento de suspeitos acusados de genocídio, atrocidades de guerra e outros crimes contra a humanidade. "Nos últimos dez anos testemunhamos a ocorrência desses crimes em diferentes partes do mundo com uma freqüência chocante", afirmou o ministro das Relações Exteriores, Brian Cowen. "É nosso dever fazer tudo o que pudermos para garantir que esses crimes não sejam cometidos novamente e que, quando eles aconteçam, os responsáveis sejam punidos."A Irlanda espera ratificar o tratado na próxima semana, após ele passar pelas duas instâncias do Parlamento e for assinado pela presidente Mary McAleese. As duas etapas são consideradas apenas formalidades.O tratado exige a ratificação de pelo menos 60 países para que entre em vigor. Até agora, 56 países completaram o processo.Os eleitores irlandeses aprovaram a medida em junho passado, com 64,2% de votos a favor. O referendo foi necessário porque o trecho da Constituição irlandesa, relativo à soberania, teve de receber uma emenda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.