Irlanda planeja novo referendo sobre Tratado de Lisboa

Texto que reforma Constituiçãoprecisa ser aprovado por todos os membros, mas foi rejeitado por irlandeses

Agências internacionais,

11 de dezembro de 2008 | 09h00

A Irlanda deseja realizar um novo referendo, em outubro de 2009, sobre o Tratado de Lisboa, que estipula reforma na União Européia. A informação veio a público através de um rascunho de documento preparado para um encontro do bloco, que começa nesta quinta-feira, 11.   Veja também: Entenda o 'não' irlandês e o Tratado de Lisboa   "O governo irlandês está comprometido a buscar a ratificação do Tratado de Lisboa até o fim do mandato da atual Comissão (Européia)", em troca de certas garantias, aponta o documento. O atual mandato do braço executivo da UE se encerra em outubro de 2009.   Os outros 26 membros do bloco europeu já aprovaram o Tratado de Lisboa ou estão passando o texto em seus respectivos Parlamentos. Em um primeiro referendo, o tratado foi rejeitado pelos irlandeses, em junho de 2007. A população local temia a perda da soberania com as novas medidas.   O Tratado de Lisboa, que muda o funcionamento da União Européia, precisa ser aprovado por todos os 27 membros do bloco. O texto reforma a União Européia, substituindo uma proposta mais ambiciosa de Constituição do bloco. O texto da Constituição foi derrotado em 2005 em plebiscitos na França e na Holanda. Segundo a BBC, entre as reformas propostas pelo tratado estão a criação de uma Presidência do Conselho de Ministros da União Européia com longo mandato, um chefe de política externa com mais poderes e a remoção do poder de veto de países em um número maior de áreas de decisão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.