Irlanda prende suspeitos de plano para matar cartunista

A polícia da Irlanda prendeu hoje sete pessoas suspeitas de armar um plano para matar um cartunista sueco. O artista havia retratado o profeta Maomé no corpo de um cachorro. A polícia informou que os quatro homens e três mulheres foram detidos em pontos do sul do país, em operações na manhã de hoje.

AE-AP, Agencia Estado

09 de março de 2010 | 12h27

Segundo os policiais, as prisões são parte de uma investigação sobre uma "conspiração para assassinar um indivíduo em outra jurisdição". A força divulgou o comunicado em resposta a uma questão sobre Lars Vilks. A Associação de Imprensa Britânica identificou Vilks como o alvo desse grupo.

A polícia irlandesa afirmou que a investigação envolveu agências de segurança nos Estados Unidos e em vários países europeus. A Al-Qaeda estabeleceu um prêmio de US$ 100 mil para quem matasse o cartunista, após um jornal publicar um trabalho dele retratando a cabeça de Maomé no corpo de um cão, em 2007.

Tudo o que sabemos sobre:
Irlandaprisãocartunista

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.