Irlanda vê dificuldades para aprovar tratado da UE

O ministro de Relações Exteriores da Irlanda, Micheál Martin, admitiu hoje que será uma tarefa difícil conseguir a vitória do "sim" no referendo de 2 de outubro sobre o tratado para reformar a União Europeia (UE). Ele notou que será uma "campanha desafiadora", após uma nova pesquisa divulgada no país mostrar o acirramento na disputa. A pesquisa Irish Times/TNS mostra o apoio ao tratado em 46%, uma queda de 8 pontos porcentuais. Já a rejeição à reforma subiu 1 ponto, para 29%. O número de indecisos subiu 7 pontos, para 25%.

AE-AP, Agencia Estado

04 de setembro de 2009 | 12h33

As probabilidades de as eleições nacionais serem adiantadas também estão maiores na Irlanda, bastante atingida pela recessão. Outra pesquisa indica o apoio ao governo em uma baixa histórica. Martin disse que o governo estava "esperançoso" de que os eleitores aprovarão o tratado. Ele falou aos jornalistas durante negociações da UE, em Estocolmo.

A Irlanda vai votar o tratado pela segunda vez, após os eleitores rejeitarem o texto no ano passado. Com o tratado, o bloco europeu espera ter mais poder de decisão e reforçar seu papel no cenário mundial. Após o fracasso no primeiro referendo, Dublin obteve garantias da UE em pontos como neutralidade militar, aborto e impostos. Com informações da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
IrlandaUEaprovação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.