Irlandeses rejeitam em referendo eliminação do Senado

Eleitores irlandeses rejeitaram em referendo o plano do governo de abolir o Senado, um resultado surpreendente que desfere um forte golpe ao primeiro-ministro do país, Enda Kenny. O resultado oficial da consulta à população foi divulgado neste sábado e mostrou que a proposta de emenda constitucional para eliminar a câmara superior do parlamento foi recusada com 51,7% dos votos.

AE, Agência Estado

05 de outubro de 2013 | 13h05

Todas as pesquisas de opinião realizadas durante a campanha de um mês sugeriam uma fácil aprovação da medida no referendo. O governo de Kenny pediu aos eleitores que aprovassem a abolição do Senado porque os 60 membros da câmara não exerciam nenhum poder essencial e custavam 20 milhões de euros (US$ 27 milhões) anualmente.

Os defensores da manutenção do Senado argumentam que o governo deve reformar e melhorar o mesmo, e não eliminá-lo. Qualquer emenda à constituição de 1937 da Irlanda requer o apoio da maioria em referendos. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
IRLANDAREFERENDOSENADOABOLIÇÃO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.