Irmã de Morales será a primeira-dama da Bolívia

Esther Morales Ayma, uma humilde vendedora da cidade de Oruro, assumirá neste domingo o cargo de primeira-dama da Bolívia pois seu irmão Evo Morales é solteiro. A notícia de que a mulher, de 54 anos, casada e mãe de três filhos, se tornará primeira-dama surge após muita especulação. Chegou-se a cogitar que a Bolívia não contaria com o cargo.Evo, como é conhecido popularmente no país e que será empossado como o primeiro presidente indígena da Bolívia, comentou recentemente que "a primeira-dama é a Bolívia". Finalmente, foi divulgada a decisão de entregar o cargo à irmã mais velha que criou Evo.Quando Evo Morales assumir oficialmente o cargo de presidente no Congresso da Nação, Esther vai receber as primeiras-damas de outros países que participarão da cerimônia, entre elas a peruana Eliane Karp e a equatoriana María Beatriz Paret. Evo Morales, de 46 anos, é solteiro e pai de dois filhos de mães diferentes.EUA desejam sucesso e defendem agenda comumO governo dos EUA desejou sucesso ao presidente eleito e expressou sua disposição de construir uma agenda comum, afirmou em La Paz o subsecretário de Estado para Assuntos da América Latina, Thomas Shannon. Os dois tiveram, no sábado, um encontro no pequeno apartamento alugado por Morales, no bairro de Miraflores. Eles disseram ter conversado sobre temas gerais e não abordaram assuntos delicados como o das plantações de coca na Bolívia.Shannon, que estava acompanhado do embaixador americano em La Paz, David Greenlee, disse que saiu muito otimista deste primeiro encontro. "Estamos dispostos a começar um processo de diálogo para determinar a maneira que os dois governos podem trabalhar juntos em uma agenda comum", declarou Shannon.Morales, acompanhado pelo vice-presidente eleito, Alvaro García Linera, agradeceu a visita e as felicitações de Washington, além do anúncio de que manterão as relações bilaterais. "O representante veio expressar e desejar sucesso ao meu governo. Isso significa abertura para debater muitos temas", disse Morales.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.