Irmandade convoca protesto no Egito

Ato está marcado para 4 de novembro, dia do julgamento do presidente deposto Mohamed Morsi

O Estado de S. Paulo,

24 de outubro de 2013 | 12h09

CAIRO - Partidários do presidente deposto do Egito, Mohamed Morsi, convocaram para o dia 4 de novembro manifestações em massa contra seu julgamento, em um sinal de que a crise política do país pode se agravar. Morsi foi acusado de incitar a morte de maifestantes durante protestos contra seu governo em dezembro.

"Acreditamos que os golpistas querem romper o ímpeto do povo e da revoluçã ao julhar Morsi no dia 4", disse a Irmandade em comunicado. "Convocamos o povo livre do Egito e do exterior a fiar ao lado da vontade revolucionária em oposição ao golpe. As atividades devem ser, como sempre foram, com os meios pacíficos,"

Um juiz indiciou Morsi e outros líderes da Irmandade por incitar a morte e a tortura que protestavam em dezembro contra um decreto que ampliou seus poderes. Morsi está em prisão domiciliar desde o golpe. / REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
golpe no Egito

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.