Irmandade Muçulmana assume ataque em Damasco

A Irmandade Muçulmana na Síria reivindicou neste sábado a responsabilidade por dois ataques suicidas em Damasco que mataram 44 pessoas na sexta-feira. Em nota em seu site oficial, o grupo disse que "uma de nossas vitoriosas brigadas sunitas foi capaz de atingir o prédio da segurança estatal em Kfar Suseh", na capital síria, em uma operação "realizada por quatro" suicidas.

AE, Agência Estado

24 de dezembro de 2011 | 10h47

Segundo a nota, muitas pessoas "das gangues de Assad" morreram e se feriram no ataque. O grupo se referia ao presidente do país, Bashar Assad, que enfrenta uma série de protestos contra seu regime e por democracia.

A notícia contradiz as acusações do regime de Assad de que os ataques, que também feriram 166 pessoas, foram um trabalho da Al-Qaeda. O Conselho Nacional Sírio, grupo de oposição, disse que o próprio regime realizou o ataque.

Neste sábado, milhares de pessoas foram às ruas de Damasco para os funerais das vítimas.

Observadores da Liga Árabe estão no país, para tentar ajudar a acabar com a violência. Segundo as Nações Unidas, mais de 5 mil pessoas foram mortas desde março, quando começaram os protestos por democracia, duramente reprimidos pelo governo. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.