AFP PHOTO / Riverside County Sheriff's Department
AFP PHOTO / Riverside County Sheriff's Department

Irmãos encontrados desnutridos e confinados pelos pais na Califórnia iniciam processo de recuperação

David Allen Turpin e Louise Anna Turpin foram presos sob suspeita de tortura depois que autoridades descobriram as condições em que mantinham seus filhos; o casal ainda não explicou o motivo do sequestro

O Estado de S.Paulo

17 Janeiro 2018 | 12h06

PERRIS, EUA -  Os 13 irmãos encontrados desnutridos e confinados por seus pais em uma casa na Califórnia, três deles acorrentados a móveis, foram levados a um lugar seguro para iniciar o que será uma longa e dura recuperação, enquanto a polícia investiga o caso.

+ Para lembrar: Os sequestros mais famosos da história

+ Família diz que americano sofre tortura na Venezuela

David Allen Turpin, de 57 anos, e sua mulher, Louise Anna Turpin, de 49 anos, estão presos sob suspeita de tortura depois que foram descobertas as terríveis condições nas quais mantinham seus filhos, com idades entre 2 e 29 anos.

A polícia de Perris, uma pequena cidade no sudeste de Los Angeles, encontrou três crianças algemadas com correntes e cadeados na casa suja do casal depois de receber uma chamada de emergência da irmã de 17 anos, que conseguiu escapar.

Ela estava tão magra que os oficiais à princípio pensaram que era uma criança. "Se alguém pudesse imaginar ter 17 anos e parecer 10, estar algemado a uma cama, estar desnutrido e ter lesões como consequência, chamaria isso de tortura", disse o chefe da Polícia de Perris, Greg Fellows, em entrevista coletiva.

Os oficiais também acreditavam inicialmente que o restante dos irmãos eram menores de idade, mas ficaram "comovidos" ao descobrir que sete deles tinham na verdade entre 18 e 29 anos. Todas as 13 vítimas foram levadas para hospitais da região, tratados por desnutrição e submetidos a outros testes de diagnóstico.

"As necessidades de longo prazo dessas crianças serão psicológicas e psiquiátricas em razão dos períodos prolongados de inanição e maus-tratos", disse Sophia Grant, diretora médica da unidade de abuso infantil da Riverside University Health System.

Mark Uffer, diretor do centro médico regional Corona, onde estão internados os maiores de 18 anos, descreveu o estado deles como "estável". "Estão bem e se encontram em um ambiente muito seguro", disse. "Passaram por uma experiência muito traumática. Posso dizer que são muito amáveis. São muito cooperativos, e acho que têm a esperança de que a vida melhore depois disso."

Investigações

Os pais ainda não explicaram o motivo do sequestro dos filhos. A polícia disse que não havia indícios iniciais de abuso sexual, mas advertiu que a investigação está em curso.

Também não foram encontrados sinais de que o casal sofre de alguma doença mental ou de que as condições em que seus filhos se encontravam estivesse relacionada a crenças religiosas da família.

Relembre: Uma década de debates sobre a tortura

Exames confirmaram que os Turpin são os pais biológicos das 13 vítimas. Segundo a polícia, a família se mudou em 2014 do Texas para o bairro de classe média de Perris e escolheu educar seus filhos em casa.

"Pareciam vampiros pálidos e muito magros", disse Kimberly Milligan, uma vizinha, sobre as três crianças que viu. "Nunca recebiam amigos ou parentes”, relatou ela. "Muitas coisas eram estranhas, mas não o bastante para chamar a polícia.”

Os pais de Turpin, que vivem no Estado da Virgínia Ocidental, disseram à emissora ABC News que estavam "surpresos e comovidos", mas que não viam seu filho e netos há quatro ou cinco anos. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.