Harish Tyagi / EFE / EPA
Harish Tyagi / EFE / EPA

Isenção de visto para indianos não sai nessa viagem, diz Eduardo Bolsonaro

Deputado disse ainda que a China tem muito interesse na medida e o caso também está sendo estudado

Paulo Beraldo / Enviado Especial, O Estado de S.Paulo

25 de janeiro de 2020 | 17h08

NOVA DÉLHI - Apesar de ter sido um pedido dos indianos e uma promessa do presidente Jair Bolsonaro, a isenção de vistos para cidadãos da Índia entrarem no Brasil não deve ser oficializada nesta missão presidencial ao país. 

A informação foi confirmada pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro, presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados, em conversa com jornalistas no hotel da delegação brasileira em Nova Délhi. 

"Está sendo feito um estudo mais detalhado pelo Itamaraty. Mas a expectativa é de que saia. O Brasil está dizendo que está em vias de colocar isso adiante, só não se dá um prazo", afirmou. 

Eduardo disse ainda que a China tem muito interesse na medida e o caso também está sendo estudado. Não se fala em reciprocidade nesse momento. 

"Nós é que nos aproveitamos dessa situação, eles é que vão gastar os dólares lá. A gente só tem que tomar cuidado com os efeitos e reflexos disso. Dificilmente um indiano, devido à diferença natural que tem do Brasil, a questão da língua, vai entrar como turista e ficar ilegal no Brasil, mas tem que ser estudado." 

A população da Índia soma 1,3 bilhão de habitantes e a da China, quase 1,4 bilhão. São os dois países mais populosos do mundo e também duas das dez maiores economias do planeta. 

Ele ainda enalteceu o fortalecimento das relações entre Brasil e Índia e disse que os dois países estão alinhados. Também falou das semelhanças entre Jair Bolsonaro e Narendra Modi.  "Eles estão se entrosando muito bem. São duas pessoas notoriamente nacionalistas, são avessos a alguns fóruns internacionais, acredito que tem muita química nessa relação". 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.