Islamabad mantém 700 presos sem acusação

O Paquistão mantém cerca de 700 suspeitos de terrorismo sem acusá-los formalmente por nenhum crime, usando os argumentos de uma lei criticada por grupos de defesa dos direitos humanos. A informação é do procurador-geral paquistanês, Irfan Qadir, que deu a declaração ontem diante da Suprema Corte do país, e pode alimentar preocupações sobre a conduta do governo de Islamabad no combate à insurgência do Taleban. Os suspeitos são mantidos em centros de detenção próximos à fronteira com o Afeganistão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.