Islâmicos do Egito querem referendo sobre Constituição a tempo

Uma coalizão da Irmandade Muçulmana e outros grupos islâmicos convocou neste sábado que o referendo sobre um projeto de Constituição siga a tempo em 15 de dezembro, depois que liberais se queixaram de que o documento é tendencioso, exigindo um atraso na votação.

Reuters

08 de dezembro de 2012 | 12h32

A principal coalizão islâmica "confirmou a necessidade de medidas para manter o referendo a tempo em 15 de dezembro, sem qualquer alteração ou atraso", disse porta-voz do grupo, em entrevista coletiva.

Entre os que falaram na entrevista coletiva, exibida ao vivo na televisão, estava Khairat al-Shater, que foi candidato da Irmandade para presidente até ser desclassificado, um movimento que lançou Mohamed Mursi para seu lugar e escritório.

(Por Tamim Elyan e Omar Fahmy)

Tudo o que sabemos sobre:
EGITOCONSTIUICAOISLA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.