Islâmicos do Paquistão acusam EUA de fabricarem vídeo

Militantes islâmicos no Paquistão afirmaram hoje que um videoteipe mostrando o suposto terrorista Osama bin Laden comentando os ataque de 11 de setembro foi fabricado por Washington para justificar a campanha militar no Afeganistão. "Este videoteipe não é autêntico", disse Riaz Durrani, um porta-voz do grupo Jamiat Ulema-e-Islã, que organizou uma série de manifestações pró-Taleban no Paquistão. "Os americanos construíram isso depois de falharem em apresentar qualquer evidência contra Bin Laden".As autoridades norte-americanas afirmaram esperar que qualquer dúvida no mundo islâmico seja esclarecida com o vídeo. "Não consigo entender como qualquer pessoa racional possa pensar, em qualquer parte do mundo, que Osama bin Laden não tem nada a ver com 11 de setembro", afirmou o senador Richard Shelby, um republicano do Arizona.O governo paquistanês, que abandonou relações com o Taleban e se alinhou à guerra liderada pelos EUA contra o terrorismo, afirmou que a fita justifica as ações norte-americanas. "Hoje, agora, tudo que posso dizer que é que tomamos a decisão certa", disse o porta-voz governamental, general Rashid Quereshi.Ameeruddin Mughal, porta-voz do Harkat-ul-Mujahedeen, um grupo militante islâmico ilegal que luta na Caxemira indiana, disse que a fita mostra alguém parecido com Bin Laden - não o próprio exilado saudita. Segundo ele, na era de computadores e tecnologia digital não é difícil produzir um vídeo falso.O videoteipe, veiculado pelo Pentágono, mostra Bin Laden conversando com alguns aliados e um xeque saudita não identificado. Bin Laden aparece dizendo que os eventos de 11 de setembro "beneficiaram grandemente o Islã".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.