Islâmicos são proibidos de disputar eleições

O governo interino da Líbia proibiu ontem os partidos políticos com base em religiões, tribos e etnias de disputar as eleições previstas para ocorrer em junho. Considerada surpreendente, a nova lei foi contestada por legendas islâmicas que pretendem entrar na disputa eleitoral. Mohamed al-Hareizi afirmou em nome do Conselho Nacional de Transição líbio que a nova legislação busca preservar a "unidade nacional". "Não queremos que o (futuro) governo seja dividido entre essas diferenças ideológicas."

O Estado de S.Paulo

26 de abril de 2012 | 03h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.