Islâmicos tentam explodir estátua de Buda no Paquistão

Militantes tentavam impor dura versão da lei islâmica no país; estátua de 7 metros não foi danificada

Agência Estado e Associated Press,

12 de setembro de 2007 | 15h32

Militantes islâmicos tentaram explodir uma ancestral estátua de Buda esculpida numa montanha no noroeste do Paquistão, mas não conseguiram danificar a estrutura, informaram autoridades locais. O ataque fez lembrar a destruição das famosas estátuas do Vale de Bamiyan pelo Taleban no vizinho Afeganistão, em 2001, e se insere na escalada da violência promovida por extremistas buscando impor uma dura versão da lei islâmica no Paquistão. A tentativa de destruição do monumento ocorreu na pequena vila de Jehanabad, na província de Fronteira Noroeste, um bastião de militantes pró-Taleban que fica na divisa com o Afeganistão. Homens armados chegaram à vila na noite de segunda-feira dizendo ser mujahedin (combatentes sagrados) e anunciaram que iriam explodir a estátua de sete metros, contou o morador Amir Khan. "Disse a eles que havia casas em volta da rocha e que qualquer explosão poderia colocar nossas vidas em risco, mas eles apontaram suas armas para nós", continuou. "Ouvimos duas vezes barulho de perfuração e na manhã de terça-feira ouvimos duas explosões", relatou. Algumas rochas em volta explodiram, mas a estátua em si não foi danificada, segundo autoridades. "Felizmente, a estátua de Buda está salva", disse Abdul Nasir, curador assistente do museu na cidade vizinha de Swat. "O Islã nos ensina a respeitar outras religiões e fés, mas infelizmente alguma pessoas estão perturbando a paz no Vale de Swat", comentou. Nasir relatou que antes de a violência extremista afugentar turistas da região, budistas do Sri Lanka, da Tailândia e do Japão iam visitar a estátua, que retrata Buda sentado com as pernas cruzadas. A estátua foi esculpida por volta do século I, durante a era Gandhara, que floresceu naquela parte do Paquistão do século 6º antes de Cristo até o século 11 d.C.. Em março de 2001, militantes talebans dinamitaram duas gigantescas estátuas de Buda em Bamiyan, por considerá-las motivo de idolatria e antiislâmicas. As estátuas, raras de Buda em pé, foram destruídas, um dos atos mais condenados internacionalmente pelo deposto regime taleban.

Tudo o que sabemos sobre:
BudismoIslamismoPaquistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.