Islamita é condenado à morte no Uzbequistão

O líder de um grupo islâmico clandestino no Uzbequistão foi condenado à morte por conspirar para seqüestrar um avião e levá-lo para o Afeganistão.A decisão tomada pelo tribunal da região de Khorezm, no nordeste do país, na sexta-feira e anunciada nesta segunda-feira pelo ministério da Justiça inclui a pena de morte para Ahmed Tumanov e 21 anos de prisão para 19 de seus seguidores.O grupo foi preso em junho por conspirar para seqüestrar um avião e conduzi-lo ao Afeganistão, onde os extremistas pretendiam juntar-se ao exército do regime do Taleban, disse o ministério.Eles haviam recebido treinamento militar no vizinho Tadjiquistão e em seguida sido presos ao cruzarem ilegalmente a fronteira do Uzbequistão, mas foram liberados em maio, quando o governo decretou uma anistia geral para os prisioneiros. O Uzbequistão vem há muito tempo lutando contra os militantes islâmicos que, segundo alega o governo uzbeque, pretendem fundar um Estado islâmico no Vale de Ferghana. Segundo o Uzbequistão, esses extremistas têm vínculos com o Taleban. O governo uzbeque tem combatido ou reprimido expressões do Islã, como o uso de barbas e véus (estes últimos pelas mulheres). Uma série de atentados à bomba em 1999 foram atribuídos ao Movimento Islâmico do Uzbequistão, um grupo que foi mencionado pelo presidente dos EUA, George W. Bush, como grupo terrorista aliado a Osama bin Laden e à sua rede al-Qaeda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.