Islamitas convocam manifestações no Egito

Islamitas egípcios que apoiam o presidente deposto Mohammed Morsi convocaram manifestações em todo o país nesta terça-feira, dois meses desde que o líder foi derrubado pelos militares.

AE, Agência Estado

02 de setembro de 2013 | 08h30

O convocação foi feita um dia depois de o presidente interino Adly Mansour anunciar a composição de um painel para elaborar uma Constituição revisada, mas sem a inclusão da Irmandade Muçulmana de Morsi, que rejeitou participar do processo.

Em um comunicado emitido nesta segunda-feira, a Aliança contra o golpe de Estado, que é liderada pela Irmandade, disse que as manifestações de terça-feira serão realizadas sob o lema "O golpe é terrorismo", para marcar a queda de Morsi. O presidente do Egito na época foi retirado do poder pelos militares em 3 de julho.

A aliança "convoca a participação ativa nestas manifestações e outras atividades destinadas a obter o retorno de Morsi", disse o comunicado.

Ainda nesta segunda-feira, a Aliança contra o golpe também afirmou que seus membros na Europa estão documentando provas contra os responsáveis pela queda do presidente. "Os egípcios livres na Europa estão documentando os crimes dos golpistas para que possam ser apresentados no Tribunal Internacional de Justiça", disse o grupo.

Morsi, o primeiro presidente democraticamente eleito do Egito, serviu apenas por um ano antes de o Exército o tirarem do poder. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
egitoprotestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.