Islamitas da Somália tomam posições-chave da capital

Uma facção islamita tomou hoje posições deixadas por forças etíopes em Mogadiscio, capital da Somália, violando um acordo estabelecido pela Organização das Nações Unidas (ONU) sobre transferência de responsabilidade pela segurança. Segundo autoridades e testemunhas, forças de Abdirahin Ise Ado, da ala moderada da oposição islamita ao governo, agora controlam posições-chave na cidade. "Nossas forças tomaram o controle de áreas deixadas pelos etíopes para manter a segurança", afirmou Ise Ado, porta-voz da União das Cortes Islâmicas (UCI).Moradores da capital somali disseram a repórteres da Associated Press que as forças de Ise Ado tomaram o local onde ficava o Ministério da Defesa, outro onde havia uma fábrica de massas e um estádio, posições deixadas pelas tropas etíopes esta semana. "Islamitas em dezenas de veículos tomaram o prédio em que antigamente funcionava o Ministério da Defesa depois que os etíopes deixaram a área de Shirkole. Eles estavam cantando ''Alá é grande''", afirmou a testemunha Hasan Farah Doyow.A UCI é um movimento islamita que controlou brevemente grandes porções da Somália em 2006, antes de as forças etíopes invadirem o país e tirarem a facção do poder. A organização militar da UCI entrou em uma guerra de guerrilha contra tropas do governo etíope e somali enquanto sua liderança política era enviada para o exílio. A organização militar da UCI tornou-se parte de uma organização fundada na Eritreia chamada Aliança para a Relibertação da Somália. Uma facção da Aliança concordou com um processo de paz com o governo federal de transição com o aval da ONU. Um acordo alcançado no fim do ano passado estabeleceu a retirada das tropas etíopes e uma transferência gradual de responsabilidades para unidades conjuntas, incluindo o governo federal e a Aliança para a Relibertação da Somália. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.