Islamitas destroem mais mausoléus em Timbuktu

Grupos armados islâmicos que ocupam a região de Timbuktu, no norte do Mali, usaram machadinhas para destruir o que restava dos mausoléus da cidade histórica, disse um líder islâmico neste domingo.

AE, Agência Estado

23 de dezembro de 2012 | 20h56

A implacável implementação pelos grupos armados de uma versão ultraconservadora da lei islâmica ocorre depois de a Organização das Nações Unidas (ONU) ter aprovado a formação de uma força militar para recuperar a área dos rebeldes.

"Nem um único mausoléu restará em Timbuktu. Alá não gosta deles", declarou Abou Dardar, líder do grupo Ansar Dine, à AFP. "Estamos em processo de destruir todos os mausoléus ocultos da área."

Testemunhas confirmaram que os mausoléus, tombados como patrimônio da humanidade pela Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco), estão sendo sistematicamente destruídos. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
MaliTimbuktu

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.