Islamitas libertam 260 soldados seqüestrados no Afeganistão

Militares do Exército paquistanês detidos na fronteira são entregues após negociações com grupo pró-taleban

Efe,

10 de setembro de 2007 | 07h31

Os 260 soldados paquistaneses que foram tomados como reféns há dez dias na fronteira com o Afeganistão por um grupo de insurgentes pró-taleban foram libertados nesta segunda-feira, 10, informou uma fonte militar em Islamabad. Os militares foram entregues a líderes tribais da região do Waziristão do Sul, situada em pleno cinto paquistanês, segundo a mesma fonte, que confirmou que o número de soldados seqüestrados chega a 260, e não a 150 como se tinha informado em princípio. A libertação aconteceu após longas negociações entre representantes governamentais e insurgentes, que tinham exigido a libertação de companheiros e a retirada do Exército da região para soltar os soldados. O instável cinto tribal que faz fronteira com o Afeganistão foi palco de múltiplos ataques contra as forças de segurança paquistaneses desde o assalto governamental à Mesquita Vermelha de Islamabad, em julho. Relatórios da inteligência americana advertiram sobre a presença da Al-Qaeda e de militantes pró-taleban na fronteira com o Afeganistão. A libertação dos soldados acontece no mesmo dia em que o ex-primeiro-ministro Nawaz Sharif, no exílio desde 1999, foi detido no aeroporto de Islamabad ao tentar voltar ao país.

Tudo o que sabemos sobre:
seqüestroPaquistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.