Islândia terá primeira premiê gay do mundo

Novo governo será anunciado hoje

, O Estadao de S.Paulo

31 de janeiro de 2009 | 00h00

Johanna Sigurdardottir, de 66 anos, da Aliança Social Democrática, que negocia uma coalizão com o Movimento Verde-Esquerda, será a próxima primeira-ministra da Islândia. Não há nada de especial na notícia não fosse Johanna casada com outra mulher desde 2002 e estar próxima de se tornar a primeira chefe de governo do mundo abertamente gay - Per-Kristian Foss, homossexual assumido, chegou a ser primeiro-ministro interino da Noruega, em 2002.Os ativistas dos direitos gays comemoraram a notícia. "Nossa organização não monitora todos os líderes gays do mundo, isso seria impossível. Mas não me lembro de nenhum chefe de governo abertamente homossexual", afirmou Juris Lavrikovs, da Associação Internacional de Gays e Lésbicas da Europa. "Existe neste caso um alto valor simbólico, que mostra que a sociedade islandesa superou preconceitos nomeando uma premiê gay.""Ficamos muito contentes com a notícia", disse Gary Nunn, porta-voz do Stonewall UK, grupo ativista britânico. "Isto realmente faz diferença. É importante ter um governante gay porque sinaliza aos jovens que eles podem ser o que quiserem."A coalizão com os verdes deve ser anunciada hoje. A Islândia tem urgência em definir o novo governo, já que o ex-premiê Geir Haarde renunciou na segunda-feira em razão da crise financeira que arrasou a economia do país - estima-se que o PIB islandês encolha 10% em 2009. O caos é tão grande que acelerou o processo de integração do país à União Europeia, que pode ser antecipado para 2011.Johanna, ex-aeromoça, é membro do Parlamento desde 1978. Ela foi ministra dos Assuntos Sociais do antigo governo e tornou-se a política mais popular da Islândia - no momento em que todos os políticos estão sendo execrados pela população, ela tem a aprovação de 73% dos islandeses. Johanna se casou com a escritora e dramaturga Jonina Leosdottir e tem dois filhos de um casamento anterior.O governo de Johanna, no entanto, durará apenas até as eleições legislativas, que foram antecipadas e devem ser realizadas em maio. O partido favorito é Movimento Verde-Esquerda, justamente o que formará a coligação com os social-democratas de Johanna.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.