Israel: 2 novas mortes pioram situação de Barak

A frágil campanha eleitoral do primeiro-ministro de Israel, Ehud Barak, à reeleição sofreu mais um golpe duro nesta sexta-feira depois de três violentos assassinatos. Dois israelenses e um palestinos foram mortos nesta madrugada em novos confrontos. As pesquisas apontam o líder do Partido Trabalhista com uma desvantagem do líder de direita, Ariel Sharon, de mais de 21% somente quatro dias antes das eleições. Alguns partidos - que fazem parte da coligação - têm pressionado Barak para renunciar à candidatura em favor do ex-ministro e prêmio Nobel da Paz, Shimon Peres, que teria mais chances de vencer Sharon. Mas Barak ignorou o prazo final da última meia-noite para desistir da candidatura.?A decisão estava nas mãos de Barak?, disse Peres. ?Esses quatro dias serão os últimos de esforços gigantescos para melhorar a imagem de Barak e melhorar os resultados nas pesquisas. Eu estarei entre os que farão isto?, declarou Peres.A morte dos dois soldados israelenses e de um palestinos, em três incidentes separados na Faixa de Gaza e Cisjordânia, enfatizaram a preocupação com o processo de paz e de segurança do país. Estes dois pontos foram colocados como peças chave das eleições. Muitos israelenses estão desapontados com o fracasso de Barak em alcançar a paz com os palestinos e estão desesperados com sua falta de habilidade de lidar com a Intifada, que já causou mais de 390 mortes.

Agencia Estado,

02 de fevereiro de 2001 | 06h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.