Israel: 400 mil protestam contra política econômica

Cerca de 400 mil pessoas participaram de passeatas na noite deste sábado nas principais cidades de Israel, em protesto contra a política econômica do governo do país. Segundo o jornal Haaretz, os protestos reuniram 300 mil pessoas em Tel Aviv, 40 mil em Haifa e dezenas de milhares em Jerusalém; também houve passeatas em Afula, Kfar Yehoshua, Kiryat Motzkin, Tosh Pina, Kyriat Shmona, Carmiel, Nes Tziona, Eilat, Nazaré e Hod Hasharon.

AE, Agência Estado

03 Setembro 2011 | 20h06

"Estamos lutando por coisas reais, que incomodam o público, e tenho a certeza de que hoje o público vai vir novamente e nos apoiar. Hoje, Israel estará dividido em dois: os velhos israelenses que dizem ''as coisas são assim mesmo'' e os novos israelenses, que vão vir aqui e tentar mudar as coisas", disse à emissora Canal 2 um dos organizadores da manifestação, Itzik Shmuli. No começo da noite, a página do protesto na rede social Facebook tinha mais de 350 mil adesões.

Esta é a oitava semana consecutiva de protestos contra a política econômica do governo conservador do primeiro-ministro Binyamin Netanyahu. As manifestações começaram com atos de protesto contra o custo da moradia e depois se ampliou para uma série de temas relacionados à desigualdade crescente na distribuição de renda em Israel. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Israelpasseatas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.