Israel abandona temporariamente planos de matar Nasrallah

Israel abandonou seus planos de assassinar o xeque Hassan Nasrallah, líder supremo do grupo guerrilheiro xiita pró-iraniano Hezbollah, por considerar que tal iniciativa desencadearia ampla condenação internacional, informou nesta sexta-feira o jornal Maariv.Entre 12 de julho e 14 de agosto, durante a guerra no Líbano, o Exército israelense esteve em busca de oportunidades para matar Nasrallah, publicou o jornal. Mas o xeque escondeu-se e conseguiu escapar ao mesmo tempo em que divulgava mensagens em vídeo a partir de seu refúgio.Ainda segundo o Maariv, quando a guerra terminou, o Exército israelense recomendou que os esforços para assassinar Nasrallah fossem suspensos por considerar que tal ato poderia provocar uma guerra ainda mais violenta, além de desencadear duras críticas ao país.Apesar da recomendação do Exército, o governo de Israel recusou-se a suspender formalmente a caçada ao líder do grupo guerrilheiro. Nasrallah deixou seu esconderijo no último dia 22 para participar de um ato público de celebração da atuação do Hezbollah na guerra.Segundo o jornal, oficiais do Exército concluíram que poderiam tentar matar Nasrallah com um ataque aéreo contra o ato público, mas dezenas de civis também morreriam se o local fosse bombardeado. Na avaliação do governo, a tentativa de assassinato não compensaria os riscos envolvidos, motivo pelo qual foi acatada a recomendação do Exército.O governo israelense, no entanto, ainda não teria tomado nenhuma decisão formal sobre o assunto. Miri Eisin, porta-voz do governo, recusou-se a comentar o teor da reportagem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.