Israel abre licitação para construção de 6,9 mil casas, inclusive na Cisjordânia

Plano prevê pelo menos 336 habitações em assentamentos judaicos em território palestino

Efe

18 de julho de 2011 | 11h16

JERUSALÉM - O Governo israelense anunciou nesta segunda-feira, 18, a abertura de uma série de licitações para a construção de 6,9 mil casas, 336 em assentamentos judaicos na Cisjordânia, dentro de um plano para tentar reduzir os preços das moradias.

 

O plano prevê a construção de 294 habitações na colônia de Beitar Illit, no sul da Cisjordânia, e de 42 casas na de Karnei Shomron, no norte, informa nesta segunda-feira o site do jornal "Yedioth Ahronoth".

 

O plano tem como objetivo reduzir os elevados preços das moradias, que geraram um protesto de diversos jovens israelenses que começaram a dormir nas ruas na última semana.

 

O protesto começou com a instalação de barracas e tendas de campanha em pleno centro de Tel Aviv e se estendeu a outras cidades.

 

Para a comunidade internacional, a construção no território destinado ao futuro Estado palestino é uma violação do direito internacional e representa o maior obstáculo para o reatamento das negociações de paz, estagnadas desde setembro de 2010, quando teve fim a moratória sobre a construção nas colônias da Cisjordânia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.