Israel acusa AP de contrabando de armas

O presidente George W. Bush enviou aos líderes do mundo árabe supostas provas do envolvimento da Autoridade Palestina, de Yasser Arafat, com contrabando de 50 toneladas de armas para os palestinos, informou um alto funcionário da Casa Branca. As provas foram fornecidas por oficiais de segurança de Israel e envolvem diretamente Arafat no contrabando de armas, que eram fornecidas pelo Irã. De acordo com o funcionário americano, as armas foram apreendidas por soldados israelenses no Mar Vermelho, e oficiais de segurança israelense informaram aos Estados Unidos que esse armamento seria usado em ataques contra civis israelenses. Bush enviou as provas por meio de cartas aos líderes da Arábia Saudita, Jordânia e Egito, todas consideradas nações árabes moderadas e com ligações com os Estados Unidos. O funcionário, que pediu para não ser identificado, não explicou do que se tratavam as provas. O presidente americano também pediu para que os chefes dos países árabes convençam Arafat de que é preciso prender mais pessoas ligadas ao contrabando e ao terrorismo. A Autoridade Palestina, sob pressão americana, prendeu vários suspeitos. Mas o porta-voz do Departamento de Estado, Richard Boucher, reiterou na quinta-feira que Arafat não havia dado nenhuma explicação sobre o contrabando de armas nem prendeu os principais envolvidos.

Agencia Estado,

25 Janeiro 2002 | 02h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.