AFP PHOTO / JALAA MAREY
AFP PHOTO / JALAA MAREY

Israel acusa Irã de disparar mísseis contra exército no Golan

Ao menos 20 mísseis foram disparados de território sírio em direção a postos das Forças Armadas de Israel nas colinas do Golan; Forças iranianas operam na Síria em apoio a Bashar Assad

O Estado de S.Paulo

09 Maio 2018 | 20h01

JERUSALÉM - Forças militares na Síria dispararam ao menos 20 foguetes contra postos do Exército de Israel nas colinas de Golan nesta quarta-feira, 9.  O exército israelense está atribuindo o ataque a integrantes das Forças Quds, a elite da Guarda Revolucionária do Irã. Ninguém ficou ferido no ataque. Vários foguetes foram interceptados pelo sistema de defesa antimísseis de Israel, conhecido como Iron  Dome.

+ Defesa síria destrói três mísseis de Israel

Os militares de Israel afirmam que as avaliações de inteligência do país previam que depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou que estava se retirando do acordo nuclear com o país, Israel provavelmente seria alvo de foguetes e o Irã tentaria retaliar.

+ Bombardeio atribuído a Israel perto de Damasco mata 15 soldados pró-regime, incluindo 8 iranianos

Teerã emitiu diversas ameaças no mês passado, em resposta a uma série de ataques da força aérea israelense ao território sírio. O último ataque, realizado em 9 de maio, deixou ao menos sete iranianos na base da força aérea síria T4. Forças iranianas operam em território sírio, e o Irã é um dos principais apoiadores do regime de Bashar Assad.

+ Cenário: Conflito regional não é apenas cenário de ensaio acadêmico

Desde o mês passado as tensões entre Irã e Israel vem aumentando ao longo da fronteira israelense com a Síria, e o exército aumentou as medidas de segurança na região, instalando mais baterias antiaéreas.

Depois que o ataque foi relatado na noite de quarta-feira, o porta-voz das Forças Armadas de Israel, Ronen Manelis, disse a repórteres que o ataque foi realizado por membros das forças Quds que operam na Síria. Ontem, o exército instruiu moradores da região a procurar os abrigos anti aéreos do Exército caso a situação se agrave.

Esta é a primeira vez que Israel acusa diretamente o Irã de atirar em território israelense. Durante a Guerra Civil Síria, diversos foguetes e disparos atingiram o Golã; geralmente organizações locais no sul da Síria afiliadas ao Irã, ao Hezbollah e ao regime de Assad são responsabilizadas pelos ataques. 

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos informou na quarta-feira que Israel atacou alvos dos militares sírios nos arredores de Quneitra, nas colinas de Golan.

+ Ataques contra bases militares deixam dezenas de mortos e feridos na Síria

+ Irã não atacará países vizinhos, mas continuará a produzir armas, garante Rohani

Pouco tempo depois, soaram alertas de sirenes em comunidades no norte e no centro das colinas de Golan, no norte de Israel. O Conselho Regional de Golan divulgou uma declaração dizendo que várias cidades da região foram alvo de foguetes e que os moradores dessas cidades devem permanecer em abrigos até que sejam notificados.

Este ataque vem na esteira de um relatório sírio acusando Israel de realizar um ataque a uma base militar ao sul de Damasco, que foi usado pelas forças iranianas. Segundo relatos, caças israelenses entraram no espaço aéreo sírio e atingiram mísseis iranianos contra Israel./AP, AFP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.