Israel acusa militantes palestinos de violarem trégua e volta a atacar

Exército israelense afirmou três foguetes foram disparados e, como resposta, atacou pontos da Faixa de Gaza

O Estado de S. Paulo

19 de agosto de 2014 | 10h05

(Atualizada às 12h) GAZA - Militares israelenses afirmaram nesta terça-feria, 19, que militantes palestinos quebraram o cessar-fogo na Faixa de Gaza ao disparar três foguetes contra o território de Israel. Segundo uma porta-voz do Exército, os foguetes atingiram a cidade de Beerseba, mas não há relatos de feridos.

Em resposta, Israel atacou diversos pontos da Faixa de Gaza. Sem informar os lugares atacados, o porta-voz militar Peter Lerner disse que "o Exército continuará atacando infraestruturas terroristas e eliminando sua capacidade em Gaza para restabelecer a segurança."

Após saber dos disparos, o premiê de Israel, Binyamin Netanyahu, havia ordenado ao Exército atacar "pontos do terror" em Gaza.

A trégua de cinco dias havia sido estendida na segunda por mais 24 horas com o objetivo de manter em curso as negociações entre Israel e uma delegação palestina no Cairo, Egito.

Antes da extensão do cessar-fogo, Netanyahu disse que o país estava preparado para qualquer eventualidade. "Estamos preparados para todos os cenários. O Exército está preparado para atacar com força se os disparos forem retomados."

Do outro lado, o movimento islamita Hamas havia pedido para a população palestina lutar contra a ocupação israelense "em todos os lugares" caso houvesse o fracasso da negociação para um cessar-fogo definitivo.

A ofensiva israelense em Gaza começou no dia 8 de julho. Desde então, cerca de 2 mil palestinos, a maioria civis, e 67 israelenses, sendo 3 soldados, morreram. / AP, EFE e REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelGazaHamas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.