Israel adiantará repasse de dinheiro para a Palestina

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, ordenou que seja adiantado o repasse do dinheiro arrecadado pelo país para a Autoridade Palestina, que passa por dificuldades financeiras. Em comunicado publicado nesta terça-feira, o governo afirma que serão enviados $ 63 milhões em tributos coletados.

AE, Agência Estado

11 de setembro de 2012 | 18h58

A decisão de Netanyahu chega no mesmo dia em que o primeiro-ministro da Palestina, Salam Fayyad, anunciou um pacote de subsídios e cortes de impostos, numa tentativa de acalmar as críticas contra o alto custo de vida na Cisjordânia e a incapacidade do governo em pagar todo o salário dos funcionários públicos.

Na manhã desta terça-feira, Netayahu disse que seu governo está "trabalhando em diversas frentes para ajudar a solucionar os problemas econômicos da Autoridade Palestina". Há dias Fayyd vem sendo o alvo de protestos, pois a população o culpa pelos problemas econômicos. Também nesta terça-feira, manifestantes reuniram-se em frente ao gabinete do primeiro-ministro em Ramallah. O protesto foi pacífico, um dia depois de incidentes violentos terem acontecido na Cisjordânia.

Fayyd afirmou que a crise está além do seu controle e que a ocupação israelense é a "principal causa" dos problemas. Ele anunciou que cancelará um aumento nos preços de combustível e de gás de cozinha e que os cortes nos impostos serão compensados pela diminuição do salário de ministros e outras autoridades. As informações são da Dow Jones e Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelPalestinaprotestosatualiza 1

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.