Israel admite desmantelar "no máximo" dez assentamentos

O governo de Israel admite a possibilidade de desmantelar, "no máximo", dez colonatos ilegais de um total de mais de cem criados desde 1996, anunciou hoje o vice-ministro da Defesa Zeev Boim. "A questão de um desmantelamento só se coloca aos pontos de implantação claramente ilegais e não vai exceder o número de dez", afirmou o vice-ministro àrádio militar. "Trata-se de implantações construídas sem autorização e que nunca foram legalizadas."O primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon, admitiu domingo o desmantelamento de algumas assentamentos israelenses instalados nos territórios palestinos. Segundo a rádio pública, Sharon fará o anúncio do desmantelamento na reunião de Aqaba (Jordânia), na próxima quarta-feira, com o primeiro- ministro palestiniano, Mahmud Abbas, e com o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush.Ao aceitar o plano internacional batizado de "Roteiro de Paz", Israel compromete-se, em princípio, no desmantelamento de todos os pontos de colonização estabelecidos depois da entrada em funções do primeiro governo de Sharon, em março de 2001. O "Roteiro de Paz" exige o "desmantelamento dos pontos de colonização estabelecidos depois de março de 2001".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.