Israel adverte palestinos a não cooperar com militantes do Hamas

Aviões da Força Aérea israelense lançaram nesta quinta-feira panfletos com advertências à população palestina do norte da faixa autônoma de Gaza, que pode ser prejudicada se cooperar com os guerrilheiros palestinos.A advertência aos habitantes do norte de Gaza, nos povoados de Beit Hanun e Beit Lagya, é uma reação israelense a informações militares de que os guerrilheiros do Movimento de Resistência Islâmica (Hamas), no poder, se uniram aos da Jihad Islâmica e aos dos Comitês Populares da Resistência.Três membros da Segurança Nacional, órgão de segurança leal ao presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), morreram atacados por um tanque israelense, perto da cerca que rodeia Gaza. Outras cinco pessoas, entre elas uma criança, foram feridas por tiros do tanque.Fontes palestinas informaram a descoberta de outra pessoa morta junto à cerca, sem dar mais detalhes. Desde que Israel se retirou de Gaza, em 12 de setembro do ano passado, o Exército israelense matou 40 palestinos na cerca. A Força Aérea israelense bombardeou na madrugada, no norte de Gaza, oito pontos usados pelos milicianos para lançar foguetes artesanais contra o sul de Israel.No início da semana, três foguetes Qassam atingiram o povoado israelense de Sderot, onde vive o ministro da Defesa, Amir Peretz, a 7 quilômetros de Gaza. Os Qassam, foguetes portáteis, com um alcance de dez quilômetros e uma pequena carga explosiva, são imprecisos mas mesmo assim deixam insegura a população civil das 38 localidades do sul de Israel vizinhas a Gaza.O ministro de Segurança Interior israelense e ex-chefe dos Serviços de Segurança Geral (Shin Bet), Avi Dichter, propôs nesta semana "transformar Beit Hanun numa ´cidade fantasma´", em represália aos ataques palestinos contra civis israelenses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.