Israel afirma que invasão por terra ao Líbano ainda não foi descartada

Forças israelenses estão tentando cortar a habilidade do Hezbollah de atirar foguetes em Israel, afirmou a equipe do Exército nesta terça-feira, acrescentando que uma invasão por terra ao Líbano ainda não foi rejeitada. "Neste estágio nós não pensamos em ter forças terrestres massivas e ativas no Líbano, mas se tivermos de fazer isso, faremos. Nós ainda não descartamos essa possibilidade", afirmou o major general Moshe Kaplinski a uma rádio israelense.Ele contou à rádio do Exército israelense que a luta contra o Hezbollah deve continuar, mas não "por muitas semanas. Nós ainda precisamos de tempo para completar os objetivos da operação". Kaplinski disse também que o Hezbollah ainda possui a capacidade de atirar contra o norte de Israel."O Hezbollah tem um enorme sistema de diferentes tipos de foguetes", disse o militar. "O grupo ainda tem a habilidade de atirar contra o norte e os residentes ainda sentem isso. Faremos tudo para minimizar esse sofrimento."Do Líbano, o Hezbollah atirou centenas de foguetes no norte de Israel desde que as batalhas começaram em 12 de julho, quando guerrilheiros libaneses seqüestraram dois soldados em um ataque na fronteira. Mais de 200 libaneses, a maioria civis, e 24 israelenses, metade deles civis, foram mortos desde que as batalhas começaram.Kaplinski afirmou que os dois soldados desaparecidos devem estar vivos e em segurança, assim como um terceiro militar, que foi seqüestrado por militantes palestinos em 25 de junho. "Sabemos que os três estão vivos. Sabemos quem os está mantendo cativos e, como eu disse, faremos tudo para trazê-los de volta para casa", ele afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.