Israel afirma ter derrubado drone disparado de Gaza

Autoridades palestinas disseram que na noite de domingo pelo menos 20 pessoas ficaram feridas em ataques israelenses

O Estado de S. Paulo

14 Julho 2014 | 09h22

(Atualizada às 10h20) GAZA - Israel afirmou ter derrubado um drone disparado pela primeira vez de Gaza nesta segunda-feira, 14. Os foguetes disparados pelos militantes palestinos contra o território israelense têm sido de modo geral interceptados.

Os militares israelenses disseram que o drone foi interceptado perto do porto de Ashdod por mísseis Patriot, de fabricação americana e usados amplamente por Israel, mas sem eficácia, contra os Scuds iraquianos na Guerra do Golfo, em 1991.

O Hamas, grupo islâmico que governa Gaza, afirmou que seu braço armado enviou diversos drones para realizar "missões especiais" no interior de Israel. "Os três drones lançados hoje fracassaram nos dois alvos que perseguiam", disse o grupo "Brigadas de Ezedin al-Qassam", braço armado do Hamas, sem revelar os alvos citados ou o objetivo das missões.

Segundo um comunicado divulgado em Gaza, o Hamas disse contar com três tipos diferentes de drones, batizados como Ababil: o AB1, desenvolvido para missões de espionagem; o AB2, desenvolvido para realizar ataques, e o AB3, um planador suicida.

Mais de 166 palestinos, a maioria civis, foram mortos nos sete dias de conflito, disseram autoridades do setor de saúde de Gaza.

A aviação e navios de guerra israelenses atacaram 204 alvos durante a noite de domingo na Faixa de Gaza, segundo o Exército de Israel. Autoridades palestinas disseram que pelo menos 20 pessoas ficaram feridas.

Como parte dos esforços diplomáticos internacionais para realizar um cessar-fogo, o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, cujo empenho por um acordo de paz palestino-israelense fracassou em abril, se ofereceu no domingo para ajudar na obtenção de uma trégua. A oferta teve o respaldo da França e da Alemanha, que vai enviar seu ministro de Relações Exteriores à região nesta segunda-feira. /EFE e REUTERS

 

Mais conteúdo sobre:
Israel palestinos Hamas

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.