Israel afirma ter retomado o roteiro da paz

O ministro das Relações Exteriores de Israel, Silvan Shalom, afirma que Israel reassumiu o roteiro para a paz, um plano que prevê a criação de um Estado palestino soberano e independente, numa aparente reversão de política do atual governo israelense. Shalom defendeu a realização de uma nova reunião de cúpula nos moldes daquela que lançou, em junho de 2003, o roteiro para a paz. O chanceler israelense prometeu negociações com a liderança palestina a ser eleita em 9 de janeiro de 2005 e com a Síria, se as partes promoverem o combate à violência contra Israel.As declarações de Shalom foram feitas durante um discurso na Conferência de Herzliya, patrocinada pelo Centro Interdisciplinar, um grupo baseado nesta cidade situada ao norte de Tel-Aviv. Trata-se da primeira vez, neste ano, que um alto funcionário do governo israelense manifesta apoio ao roteiro para a paz.O plano foi elaborado por Estados Unidos, Rússia, União Européia (UE) e ONU. O roteiro para a paz chegou a ser lançado no ano passado, mas naufragou algumas semanas depois, porque as partes em conflito não implementaram os pontos com os quais se comprometeram. Em seguida, o primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon, deixou de lado o roteiro e passou a dedicar-se a um plano unilateral que prevê a retirada israelense de toda a Faixa de Gaza e de quatro pequenas colônias judaicas na Cisjordânia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.