Israel amplia ofensiva em territórios palestinos

Lançada desde o início da semanana Cisjordânia, a ofensiva do Exército de Israel se estendeuhoje até a Faixa de Gaza. O governo do primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon,continua levando adiante uma vasta operação que qualifica de"antiterrorista" especialmente em Jenin, cidade do norte daCisjordânia assediada nos últimos cinco dias por tanquesisraelenses sob a alegaçãos de que ali se esconderiaminspiradores dos atentados suicidas islâmicos. "É uma autodefesa ativa", explicam representantes dogoverno israelense. Apesar de o presidente dos EUA, George W. Bush, terontem pedido a Sharon para moderar os ataques, fontes de Israelinformaram que a operação é inevitável "para capturar osmentores do terror" que o líder palestino Yasser Arafat nãoquis deter para impedir a onda de violência da segunda intifada,iniciada em 28 de setembro de 2000. Durante conversações com o secretário de Estadonorte-americano, Colin Powell, Sharon, inclusive, não tevedúvidas em comparar Arafat com Osama bin Laden, a quem os EUAacusam de ser o mentor dos ataques terroristas em Nova York eWashington.Para a Autoridade Nacional Palestina (ANP), a ofensivadas Forças Armadas israelenses em Gaza e na Cisjordânia é um"complô para voltar a ocupar os territórios autônomospalestinos". "Sharon quer a guerra, por isso tratou de impedir areunião entre Arafat e (o chanceler israelense Shimon) Peres",acusou hoje o ministro de Informações palestino, Yasser AbedRabbo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.