Israel anuncia que operações em Gaza vão durar "vários dias"

As novas operações do Exército israelense no norte da faixa autônoma de Gaza vão durar "vários dias, para não expor as tropas" a possíveis ataques de milicianos palestinos, segundo fontes militares.Desde o começo da operação Chuvas de Verão, lançada na semana passada para resgatar o soldado Guilad Shalit, capturado em 25 de junho por comandos palestinos, um pequeno contingente penetrou no sul da Faixa de Gaza e em setores próximos à fronteira norte, entre eles a região de Erez, perto de Beit Hanun e Beit Lahia.As operações "têm dois objetivos muito claros: ao norte, impedir que os milicianos palestinos disparem foguetes Qassam contra as cidades de Ashdod, Sderot, Ashkelon, os kibutz e as cooperativas rurais ao redor de Gaza; ao sul, impedir que os seqüestradores desloquem Shalit de um esconderijo para outro", disse o vice-primeiro-ministro Shimon Peres."Dizem que Israel está numa situação embaraçosa. Para mim, quem tem problemas é o Movimento Islâmico Hamas e o povo palestino vai perceber que está sendo levado de uma tragédia a outra", comentou Peres. O ministro da Defesa, Amir Peretz, disse aos jornalistas que as tropas vão entrar no território de Gaza "o quanto for necessário", mas prometeu que Israel "não vai se afundar novamente nesse lamaçal".O deputado Haim Oron, da frente pacifista Meretz, de oposição, disse que fica muito preocupado quando ouve o governo ameaçar os palestinos. "Espero que, antes de lançar esta operação, tenham esgotado todas as possibilidades e escolhido o caminho da força por falta de opção. Hoje falam em invadir seis quilômetros, e quando isso não for suficiente, serão oito, num território muito estreito e com uma grande população", criticou.Fontes militares, citadas pela rádio pública, disseram que o objetivo de Israel é criar uma espécie de "zona de segurança flexível", para as tropas entrarem e saírem conforme suas necessidades. A ministra de Relações Exteriores, Tzipi Livni, alertou ao Gabinete de Segurança que as operações não podem "prejudicar o crédito político" que Israel recebe da comunidade internacional.HamasOficiais do departamento de polícia de Jerusalém detiveram na noite de quarta-feira cinco membros do Hamas residentes na cidade, informa a imprensa israelense. Segundo a polícia, os cinco detidos ajudavam os deputados do Movimento de Resistência Islâmica, Hamas, a coordenar as operaçõesda organização em Jerusalém. Israel fez na semana passada uma operação em massa em diferentes pontos da Cisjordânia e Jerusalém, detendo 65 membros do grupo entre eles oito ministros, 20 deputados e dois prefeitos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.