Israel aprova construções em assentamento na Cisjordânia

Cerca de 1.450 casas serão erguidasm contrariando pedidos dos EUA para paralisar expansão dos acampamentos

29 de junho de 2009 | 10h10

O Ministério da Defesa de Israel aprovou a construção de 50 unidades de casas em um assentamento judaico na Cisjordânia, informam nesta segunda-feira, 29, meios de imprensa locais.

 

Trata-se da colônia de Geva Binyamin, onde se planejam construir um total de 1.450 casas, segundo a edição eletrônica do jornal "Yedioth Ahronoth", que destaca que a decisão da Defesa segue uma sentença do Tribunal Supremo israelense.

 

A decisão bate de frente com os repetidos apelos feitos pelo governo dos Estados Unidos a Israel para que este país suspenda toda atividade nos assentamentos judaicos em território ocupado e retome sem demora as conversas de paz com os palestinos.

 

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, assegurou que o País não autorizará a construção de novos assentamentos, mas sim defenderá as obras naqueles existentes apelando ao que denomina "crescimento natural" da população.

 

Desde 1967, ano em que Israel ocupou os territórios palestinos, foram construídos 132 assentamentos reconhecidos pelo Ministério do Interior na Cisjordânia e Jerusalém Oriental, assim como um número similar de enclaves não reconhecidos pelas autoridades israelenses, segundo contabiliza a ONG B'Tselem.

 

Para os palestinos e a comunidade internacional todos os assentamentos construídos em território ocupado após a Guerra de 1967 são ilegais, e representam um sério obstáculo para a paz e a criação de um futuro Estado palestino.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.