Israel aprova transferência de US$100 mi aos palestinos

O gabinete do primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, aprovou neste domingo por unanimidade a transferência de 100 milhões de dólares de impostos palestinos para o gabinete do presidente Mahmoud Abbas, disseram autoridades israelenses. Olmert prometeu o dinheiro a Abbas no primeiro encontro formal dos dois, realizado no sábado em Jerusalém. "O gabinete aprovou a transferência de 100 milhões de dólares através do gabinete de Abbas", disse uma autoridade do governo de Olmert. A mídia israelense disse que a decisão foi unânime. Autoridades disseram que a transferência pode levar dias ou semanas, até que Israel receba detalhes sobre as necessidades humanitárias onde Abbas pretende usar o dinheiro. Israel quer garantias de que o dinheiro não passará pelo governo liderado pelo Hamas. Olmert disse a ministros que teve um "bom encontro" com Abbas e que eles concordaram em manter outras negociações e "lançar um diálogo com a Autoridade Palestina" para tentar retomar as negociações de paz, paradas desde 2000. O levante palestino surgiu logo depois do fracasso das negociações e a esperança de reativá-las diminuiu quando o movimento islâmico Hamas chegou ao poder, em março. Israel e países ocidentais impuseram um boicote financeiro sobre os palestinos para pressionar o Hamas a derrubar sua recusa em reconhecer Israel e a renunciar à violência. Israel congelou quase 500 milhões de dólares em impostos palestinos como parte destas sanções. Dinheiro de Dubai Os Emirados Árabes Unidos vão transferir 30 milhões de dólares para a Autoridade Palestina para aliviar o sofrimento dos palestinos frente ao boicote, disse neste domingo a agência de notícias oficial, WAM. "O presidente dos Emirados Árabes Unidos, Khalifa bin Zayed al-Nahayan, ordenou a transferência de 30 milhões de dólares para a Autoridade Palestina como apoio dos Emirados Árabes Unidos aos irmãos palestinos e para ajudar a reduzir o seu sofrimento", disse a WAM, sem dar mais detalhes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.