Israel ataca base militar e estação de transmissão de rádio no Líbano

Um ataque israelense atingiu uma base militar libanesa e uma estação de retransmissão da rádio e da TV estatal do Líbano no norte de Beirute na quinta-feira, horário local. Ainda não se sabe se o ataque foi aéreo ou marítimo. Segundo uma emissora de TV privada libanesa, jatos israelenses atingiram a base militar em Aamchit, cerca de 50 quilômetros da fronteira entre Beirute e Tripoli, ao norte da capital. O ataque derrubou uma torre de transmissão perto de um campo e antenas da Rádio Líbano. O incidente ocorreu por volta das duas horas da manhã. Mais tarde, a mesma emissora TV libanesa informou que o ataque foi realizado por navios de guerra israelenses. Contudo, a rádio Voz do Líbano disse que se tratava de uma ofensiva aérea.Os ataques em Aamchit sucederam uma operação aérea israelense na noite de quarta-feira que destruiu três caminhões que carregavam vegetais na cidade de Dhour Shweir, cerca de 30 quilômetros de Beirute.Testemunhas na cidade de Aamchit contatadas por telefone de Beirute disseram ter ouvido explosões mas não deram mais detalhes. Até agora não há relatos de vítimas e o Exército israelense não se manifestou ainda sobre o ataque. De acordo com informações do canal de TV libanês, o exército impediu as pessoas de se aproximarem do local, e selou a área. Aviões israelense destruíram prédios e infra-estrutura de comunicação no Líbano na semana passada, derrubando cerca de doze estações de radar em toda a costa do país, incluindo aquelas nos portões de Beirute at Beirut, Jounieh e Biblos .Mais ataquesTambém nesta quarta-feira, milicianos do Hezbollah lançaram uma de suas maiores baterias de mísseis contra o norte de Israel - 119 foguetes que feriram ao menos 31 pessoas e danificaram edifícios.As forças israelenses enfrentaram um outro violento confronto com guerrilheiros do Hezbollah em Maroun al-Ras, no sul do Líbano, cidade tomada por Israel no fim de semana, informou o Exército sem dar mais detalhes. Segundo o Hezbollah, quatro soldados israelenses foram mortos neste confronto.Desde o início das batalhas, ao menos 422 pessoas, a maioria civis, foram mortas no Líbano, segundo informaram o Ministério da Saúde, o Hezbollah e militares. Mais de 750 mil libaneses abandonaram seus lares. Pelo menos 42 baixas israelenses foram confirmadas, incluindo 24 militares.Cessar-fogoAutoridades dos Estados Unidos, União Européia e de países Árabes se reuniram nesta quarta-feira para discutir a crise no Líbano, mas não conseguiram chegar a um acordo imediato para conseguir forçar um cessar-fogo entre Israel e Hezbollah.O secretário-geral das Nações Unidas, Kofi Annan, pediu a criação de uma força multinacional para ajudar o governo do Líbano a retomar o controle de seu território e aumentar o poder da ONU para acabar com as armas do Hezbollah.Após escutarem o apelo dramático por paz do premier libanês, Fouad Saniora, as autoridades internacionais disseram que concordam com a necessidade de enviar tropas sob as ordens da ONU para o sul do Líbano.Embora oficiais tenham pedido o fim ida violência, a secretária de Estado americana, Condoleezza Rice disse que o cessar-fogo precisa ser "sustentável" para que não haja retorno a atual situação, mas ela, assim como a Grã-Bretanha, não se refere a Israel quando pede para que os ataques parem. Rice só disse que o governo de Israel precisa "parar com a violência excessiva.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.