Israel ataca subúrbios de Beirute pelo segundo dia consecutivo

Aviões israelense bombardearam os subúrbios de Beirute pelo segundo dia consecutivo no começo da sexta-feira, lançando pelo menos 24 rodadas de bombas em menos de uma hora, informaram fontes locais. Os jatos israelenses também lançaram três ataques perto de Baalbek, no leste do Líbano, segundo a TV do Hezbollah, Al-Manar. A emissora não forneceu informações sobre danos ou mortes. Segundo as fontes, os ataques começaram por volta das 3 horas da manhã. Vários aviões de guerra de Israel sobrevoaram bairro de Ouzai, bastião do Hezbollah, localizado próximo ao começo da rodovia que leva ao sul do país. Acredita-se que moradores da região tenham deixado a área por causa de ataques anteriores em locais próximos.Os ataques da sexta-feira, horário local, foram os primeiros contra Ouzai desde que os confrontos entre Israel e guerrilheiros do Hezbollah começaram, há 24 dias.O Exército de Israel confirmou os ataques no Líbano, mas não deu detalhes sobre o local das incursões. O canal de TV libanês New TV exibiu imagens de vários pontos de Ouzai, mostrando uma estrada paralela à pista do aeroporto, mas não se sabe se o aeroporto foi atingido nos ataques.Os subúrbios da capital libanesa foram alvos de ataques israelenses desde que os confrontos entre Israel e Líbano começaram depois do seqüestro de dois soldados israelense, no dia 12 de julho.Outros ataquesGuerrilheiros do Hezbollah mataram onze israelenses nesta quinta-feira, depois de ataques com foguetes contra o território israelense e embates na região fronteiriça entre os dois países. Oito civis morreram ao norte de Israel vítimas de bombardeios promovidos pelo grupo xiita e três soldados foram mortos ao sul do Líbano. As forças armadas de Israel disseram ter matado dezenas de guerrilheiros do Hezbollah em ataques por terra, e após vários dias de calma, os bairros do sul de Beirute, redutos do Hezbollah, foram bombardeados novamente nesta madrugada. Além disso, aviões de combate sobrevoaram a capital libanesa em baixa altitude.No sul do Líbano, três militantes islâmicos teriam sido mortos em bombardeios israelenses. Hezbollah promete lutar até o fimMais cedo nesta quinta-feira, o porta-voz do Hezbollah, Hussein Rahal, havia assegurado em entrevista à televisão Al Jazera que sua organização só aceitará e respeitará um cessar-fogo quando todas as tropas israelenses se retirarem do Líbano."A declaração de um cessar-fogo não cabe ao povo libanês enquanto houver um só soldado israelense em território libanês", disse Rahal.Apesar dos esforços diplomáticos terem falhado até agora para conseguir o fim da guerra, diplomatas disseram que os Estados Unidos e a França estão trabalhando em duas resoluções na Organização das Nações Unidas (ONU) para finalizar o impasse.A primeira resolução irá pedir o cessar-fogo imediato e tratará de medidas políticas para o acabar com a disputa a longo termo. A segunda resolução irá negociar a ida de uma força multinacional à fronteira de Israel e Líbano, além de tratar de outras medidas a longo prazo.O rei da Jordânia, Abdullah II, um aliado chave dos Estados Unidos, disse que a prolongada batalha enfraqueceu os líderes moderados do Oriente Médio e avisou que mesmo que o Hezbollah seja destruído, se Israel não oferecer uma solução aos problemas dos palestinos, do Líbano e da Síria, "outro Hezbollah surgirá em um ano ou dois, talvez na Jordânia, na Síria, no Egito ou no Iraque".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.