Lefteris Pitarakis/AP
Lefteris Pitarakis/AP

Israel atacou 1,5 mil alvos em Gaza e foi atingido por 1.506 mísseis

Nos oito dias da operação Pilar de Defesa, Israel matou mais de 150 palestinos; 5 israelenses morreram

Efe

22 de novembro de 2012 | 08h37

TEL-AVIV - Israel atacou 1,5 mil alvos durante os oito dias da operação militar Pilar de Defesa na Faixa Gaza, enquanto 1.506 foguetes foram lançados a partir do território palestino contra solo israelense. A informação foi divulgada nesta quinta-feira, 22, pelo Exército israelense.

 

Antes da entrada em vigor, ontem à noite, da trégua que pôs fim às hostilidades, o Exército bombardeou "1,5 mil alvos terroristas, incluindo 19 centrais de comando, centros de controle operacional e sedes de altos oficiais do Hamas", segundo um comunicado militar. Israel diz ainda ter matado 30 altos dirigentes da cadeia de comando e controle do Hamas, entre eles Ahmed Jabari, o chefe do braço armado do grupo islâmico. Também figuram na lista Habs Hassan us Msamsh, alto comandante da Polícia do Hamas, Ahmed Abu Jalal, comandante militar na área de Al-Mughazi, e Khaled Shayer, destacado líder encarregado de disparar foguetes antitanque.

 

O Exército de Israel também assegura ter destruído centenas de estruturas subterrâneas usadas para o lançamento de foguetes, 206 túneis utilizados por "terroristas", dezenas de bases operacionais do Hamas, 26 fábricas de armas e depósitos de munição e dezenas de lançadores de foguetes de longo alcance. O comunicado indica ainda que o sistema de intercepção de mísseis Domo de Ferro, consistente em cinco baterias desdobradas em diferentes pontos no sul de Israel e na região metropolitana de Tel Aviv, teve índice de sucesso de 84% em suas intercepções.

 

Depois do anúncio do cessar-fogo, os milhares de militares estacionados na fronteira com a Faixa de Gaza deverão começar a recuar gradualmente, informou a rádio pública israelense. Nessa última escalada de violência, o balanço de vítimas fatais é de 162 palestinos e cinco israelenses, além de 1,3 mil palestinos e 50 israelenses feridos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.