Israel atirou à queima-roupa em ativistas, diz Turquia

Uma investigação do governo da Turquia sobre o ataque de comandos israelenses à pequena frota de ajuda humanitária à Faixa de Gaza, que ocorreu em 31 de maio do ano passado, concluiu que os soldados atiraram em pelo menos cinco ativistas à queima-roupa. Oito cidadãos turcos e um turco-americano foram mortos na abordagem ao navio Mavi Mármara.

AE, Agência Estado

11 de fevereiro de 2011 | 18h12

O relatório publicado hoje diz que duas das vítimas foram mortas antes mesmo dos comandos israelenses abordarem o navio. O relatório afirma que o governo de Israel violou a lei internacional, uma vez que o Mavi Mármara e outros navios da flotilha foram abordados em alto-mar.

Israel afirma que os soldados agiram em legítima defesa. Uma investigação feita pelo governo israelense no mês passado isentou os militares de qualquer responsabilidade no incidente.

O incidente agravou ainda mais as relações entre a Turquia e Israel, já abaladas antes por uma série de críticas do premiê turco, Recep Tayyip Erdogan, à incursão de Israel contra a Faixa de Gaza no final de 2009. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
acusaçãoataqueTurquiaIsrael

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.