Israel avisa que voltará a atacar em campo de refugiados

Soldados e tanques israelenses retiraram-se para o perímetro dos distritos de Brasil e Tel-Sultan no campo de refugiados palestino de Rafah, onde operações militares ao longo desta semana deixaram dezenas de mortos e centenas de casas demolidas. O Exército israelense informa, porém, que está apenas reposicionando suas forças e que a ofensiva em busca de túneis usados no contrabando de armas do Egito continuará.Autoridades israelenses, porém, buscam uma tática alternativa à demolição em massa de edifícios no campo de refugiados, prática que deixou milhares de palestinos desabrigados e atraiu condenação internacional. Forças israelenses já destruíram ou danificaram dezenas de casas e esmagaram automóveis em ambos os distritos.?Mal reconheço minha rua?, disse Abdel Rahim Abu Jazer, um professor de 42 anos. ?Acho que nem um terremoto conseguiria fazer o que Israel fez nesta área?. Moradores, agitando retalhos de pano branco, caminhavam entre monturos de entulho. Ao passarem perto de um tanque israelense, o blindado fez disparos de metralhadora.Palestinos vasculhavam os destroços, retirando cobertores, fotografias, sapatos, roupas. Equipes da ONU entraram em Tel-Sultan e distribuíram comida e água a alguns dos 25.000 moradores. Segundo Johan Eriksson, porta-voz da ONU, os moradores pedem leite, farinha e comida de bebê.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.