Israel bombardeia alvos do Hamas na Faixa de Gaza

Ação militar aconteceu horas depois da morte de civil israelense por tiro disparado pelo lado dos palestinos

O Estado de S. Paulo,

24 de dezembro de 2013 | 13h21

Base do Hamas atingida na ofensiva desta terça-feira. (Foto: Ibraheem Abu Mustafa/Reuters)

GAZA - A aviação militar israelense lançou nesta terça-feira, 24, novos ataques contra alvos do Hamas na Faixa de Gaza. A ofensiva começou horas depois de um trabalhador civil de Israel ter sido morto por um tiro disparado pelo lado dos palestinos.

Momentos após a morte do operário, que fazia manutenção do muro na divisa entre os territórios, o primeiro-ministro israelense, Binyamin Netanyahu, alertou para a retaliação.

"É um incidente muito grave e não deixaremos que fique sem resposta", afirmou durante uma visita à cidade de Sderot, próxima ao local onde a morte ocorreu. "Nossa política tem sido de agir antecipadamente e responder com força, e assim será com relação a esse caso."

Tanques e tropas terrestres deram apoio ao bombardeio que, segundo o ministério da Defesa israelense, teve como alvos fábricas de armamentos e lançadores de foguetes pertencentes à milícia islâmica.

"Recomendo ao Hamas que não teste nossa paciência", afirmou o ministro da Defesa israelense, Moshe Yaalon. "Se não houver tranquilidade em Israel, não haverá tranquilidade em Gaza", completou.

Autoridades do lado palestino afirmaram que pelo menos 16 ataques foram lançados pelas forças de Israel. Os palestinos afirmam que uma criança morreu e outras 10 pessoas ficaram feridas.

O Hamas ordenou que seus combatentes e funcionários burocráticos abandonassem as bases e escritórios da milícia por precaução.

O porta-voz do grupo, Sami Abu Zuhri, desafiou Israel. "A ocupação não aterrorizará o povo palestino com essas ações, não punirá nossa resistência e não acabará com a prontidão para responder a qualquer ataque contra Gaza." / AP

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelpalestinosGazabombardeio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.