Israel bombardeia prédios da polícia palestina

Helicópteros israelenses dispararam foguetes contra prédios da força de segurança da Palestina, na Faixa de Gaza, depois que palestinos dispararam tiros de morteiro contra bases militares próximas - a despeito das operações militares anteriores, empreendidas por Israel para acabar com esse tipo de ataque.O ministro das Relações Exteriores de Israel, Shimon Peres, disse, no rádio, que ?dialogar apenas por meio de tiros... será trágico para ambos os lados?. O enviado americano a Israel, Anthony Zinni, foi chamado de volta a Washington para consultas. A presença de Zinni na região foi acompanhada por um aumento na intensidade da violência na região. Em duas semanas, mais de 60 palestinos e 40 israelenses foram mortos.O líder palestino Yasser Arafat, pressionado pelos Estados Unidos e pela União Européia para desmantelar os grupos militantes Hamas e Jihad Islâmica deve fazer um pronunciamento pela TV ainda hoje.O governo do primeiro-ministro Ariel Sharon anunciou que estava cortando todos os laços oficiais com Arafat, depois que pistoleiros do Hamas emboscaram um ônibus israelense na quarta-feira, matando dez pessoas e ferindo outras 30. Israel informou que não iria mais esperar que a Autoridade Palestina agisse contra os militantes.No sábado, tropas israelenses invadiram e ocuparam parte da cidade palestina de Beit Hanoun, considerada uma base do Hamas, e prenderam 15 palestinos. Centenas de jovens atiraram pedras e atearam fogo a pneus. O confronto desembocou num tiroteio. Quatro palestinos foram mortos, incluindo um menino de 12 anos e um policial, segundo testemunhas e o Hospital Shifa.Os israelenses demoliram cinco casas, três escritórios da segurança palestina e a sede local do Fatah, partido de Arafat. Uma das casas pertencia a um dos fundadores do braço armado do Hamas, Salah Shahed. Horas após a retirada das tropas, dois disparos de morteiro caíram perto de bases do exército próximas a Beit Hanoun, sem causar danos ou ferimentos. Em seguida, um ataque por helicópteros israelenses danificou dois prédios da segurança palestina.A Autoridade Palestina informa que prosseguem sua campanha contra os grupos radicais. A polícia fechou 14 bases do Hamas e da Jihad. Essas bases supervisionavam atividade culturais, religiosas e educacionais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.